Postado em 18 de dezembro de 2014 por Lu Bento

30 anos30 anos. Mais uma década completa. Mais um ciclo que se fecha.  E outro que se inicia.

É inevitável quando se completa uma data redonda fazer uma espécie de balanço da vida. Não foi de repente que cheguei aqui.Eu estou nesse processo de reflexão, relembrando minha trajetória, curtindo o que eu construí e traçando o que eu quero para a minha vida nos anos que virão. Não é  nada fácil  buscar ser e viver como a gente deseja. E nem sempre é possível, afinal, vivemos em sociedade, em comunidade, e é preciso se adaptar às circunstâncias.

luluzinhababyTive uma infância tranquila e gostosa. Uma adolescência bem menos rebelde e contestadora do que poderia ter sido (sorte dos meus pais!). Uma juventude que não foi vivida com tanta intensidade quando eu gostaria, podia ter experimentado muito mais, ousado mais, ter sido mais ativa na defesa do que eu acredito. Mas se algumas coisas não podem ser recuperadas, ainda há tempo de fazer tantas outras!! Verdadeiramente, não há motivos para lamentar.

Sem dúvida estou amadurecendo. Lembro de mim aos 15, ansiando por uma vida com mais emoção. Hoje, aos 30, olho pra trás e vejo quantas emoções já vivi. Quanta coisa eu já aprendi! Mas o melhor é saber que há muito ainda para viver e aprender. Muitos sonhos a realizar, muitas metas a alcançar. Muitas dificuldades ainda virão, assim como virão as maneiras de superá-las.

feito em 1984

Essa semana completei 30 anos. Trinta primaveras. Trinta voltas em torno do sol. Renasço novamente para uma nova etapa da vida.  Não vai rolar uma festa daquelas como o primeiro aniversário, ou os 10, os 15, os 20. Foi um dia comum, em casa, curtindo minhas curiquinhas. Mas tudo bem. Não é por falta de festa que não vamos comemorar. A vida deve ser celebrada a cada dia, a cada insistente. E só de estar vivendo uma vida que eu tanto desejei, o cotidiano já é uma forma de celebração.

Agradeço a todos vocês que contribuíram de alguma forma para que eu chegasse onde estou. Cada um que passou pela minha trajetória. Agradeço às pessoas com as quais eu tenho mais contato, àqueles que eu não falo há tempos, mas que moram no meu coração, àqueles que passaram por minha vida pro breves instantes, mas que fizeram de cada momento um pedacinho especial desta jornada. Aos meus parentes, aos meus amigos do passado,  aos meus amigos de sempre, aos meus amigos de hoje, às minhas amigas virtuais, meus pais, avós e irmão, ao meu marido e meus filhos.

Muita gratidão a todos vocês que estiveram e que estão comigo durante todos esses anos.

Comentários no Facebook

Veja mais em Maternância

4 de agosto de 2017 Esse ano finalmente fomos pra Flip, a Festa Literária Internacional de Paraty.  Eu sempre paquerei o evento, mas nunca...
19 de outubro de 2016 Depois de uma eternidade, finalmente consegui retomar a regularidade (que nunca existiu) de postagem aqui no blog e retomo...