Postado em 17 de abril de 2016 por Lu Bento

Maternância preta é um termo recente usado para falar do ativismo de mulheres-mães negras. A palavra maternância é um neologismo usado para designar a militância motivada pela maternidade, e isso é algo que acontece com a maioria das mães, principalmente mães pretas.

 

Se antes de ter filhos a mulher pouco se empanhava em lutar por causas e bandeiras coletivas,ou buscar grupos de apoio, se reunir a outras pessoas por uma causa, após a maternidade esse desejo vem a tona. Nem nem é preciso esperar o bebê nascer para que isso acontece. Basta saber que está grávida e  muitas mulheres já sentem necessidade de buscas um grupo de gestantes para falar sobre a mudanças que vivemos durante a gravidez. E tem uma variedade de grupos e correntes de pensamento sobre a gravidez. Tem quem defenda parto humanizado e quem defenda a cesária eletiva com data marcada. O universo materno é grande demais para andarmos sozinhas!

Qumaternância preta - mulher grávidaando a gente agrega a questão racial, a questão da maternância torna-se ainda mais importante. Colocar uma criança negra no mundo é colocar uma pessoa que será algo de racismo em algum momento de sua vida. E saber disso é extremamente angustiante. Nenhuma mãe preta quer que sua cria passe pelas situações de racismo que ela passou na infância e ao longo de toda vida. Então, pode ser entendida como maternância preta todas as iniciativas que tomamos para minimizar os impactos do racismo na vida dos nossos filhos.

Por que por mais que muitas pessoas tenham resistência a uma prática de militância, quando uma mãe negra procura referenciais positivos para seus filhos, seja comprando bonecas negras, seja preferindo aquele produto que tem uma criança negra no rótulo, seja curtindo um episódio do Super Choque com suas crias, tudo isso faz parte de uma atitude política. Além de ser uma forma de fazer suas crias se verem nos produtos que consomem, é uma atitude de fortalecimento de iniciativas que valorizam a população negra. E isso é militância.

A maternidade da mulher negra envolve um monte de questões e esteriótipos de gênero e raça que nos oprimem. O mito de que  mulher negra é mais forte, por isso não precisa de tanta atenção e cuidado durante o parto; as mães-pretas que amamentavam crianças brancas e o impacto que as nossa dificuldades com a amamentação tem sobre nossas emoções; o desamor com que as nossas crianças negras são tratadas por cuidadoras de creches e pré-escolas em comparação com o tratamento destinado às crianças brancas. Como nossas meninas negras já tem seus cabelos julgados e discriminados desde pequenas, como nosso meninos negros são hiperssexualizados desde pequenos. Tudo isso e muito mais perpassa a nossa vivência materna. E nós reagimos a isso. Nós resistimos e enfrentamos, na medida do possível, cada preconceito contra as nossas crias. Isso é marternância preta!

E quando exercitamos a nossa maternância preta juntas, ficamos ainda mais fortalecidas. Por isso, convido vocês a conhecerem algumas iniciativas de maternância que já  vem acontecendo pelas redes sociais e pelo mundo real.

Espaços de maternância preta

 Iya maternancia

A inciativa que adota explicitamente o conceito de maternância preta é o Iyá Maternância, uma organização que surgiu da união de 4 mulheres-mães-pretas. Eu, Xan Ravelli, Sá Ollebar e Pri Silva nos juntamos e começamos a preparar ações de promoção e apoio à mães pretas. As meninas são grandes blogueiras negras que falam sobre diversos assuntos e a maternidade é  O Iyá Maternância já conta com uma página no facebook e já tem um evento presencial agendado, o Aquecimento Iyá Maternância. Nele falaremos sobre o projeto e iniciaremos rodas de conversas com mães sobre temas que nos afetam diretamente. Para saber um pouco sobre o que falaremos, e conhecer mais as coordenadoras do Iyá Maternância, assistam o vídeo da nossa participação do Conversa com Cachaça do canal Soul Vaidosa, da Xan.

E o nosso encontro é essa semana, a inscrição é até dia 20, então se você está em São Paulo, ainda dá tempo de se inscrever e participar do Aquecimento Iyá Maternância! Esse é um evento restrito pra 30 mulheres, mas o planejamento inclui um evento maior ainda esse ano.  Não percam!


 

Outra iniciativa que eu gostaria de destacar como espaço de maternância preta é o grupo do facebook Roda da Mãe Preta. É um grupo de mães pretas que conversam  e se apoiam mutuamente. Um espaço de trocas afetivas e de fortalecimento político. É um grupo fechado e para participar é preciso ser convidada por umas das mulheres-mães que já são membros do grupo, pra não virar bagunça.

Neste formato de grupos, tem também o grupo Mãe Negra, Criança Negra, formado principalmente por mulheres-mães negras  do Rio de Janeiro.  E também há o Maternagem e negritude, que também pode ser compreendido como um espaço de maternância preta. E devem existir muitos outros que eu sequer conheço! E isso é lindo demais!

Nessa onda de canais de youtube, a Sá Ollebar já faz um super trabalho no Preta Pariu falando sobre maternância preta entre outras coisas.  E tem também o novíssimo canal da Egnalda Côrtes, onde ela falará sobre maternidade e educação de crianças pretas, ou seja, tem muita maternância preta nesse conteúdo!

Cada vez mais mulheres-mães-pretas estão se expressando e se organizando. E cada vez mais o conceito de maternância preta vai se espalhando.

Você, mulher-mãe preta que está aí lendo tudo isso, está na hora de transformar toda sua maternância preta solitária em uma maternância coletiva! Vamos juntas?

Comentários no Facebook

Veja mais em Maternância e Sem categoria

18 de abril de 2016 Hoje é o Dia Nacional do Livro Infantil e nada mais oportuno do que falarmos sobre leitura para os...
28 de janeiro de 2016 Olá pessoal! No LêproErê de hoje, as dicas são todas pra criançada! Um livro bem fofo pros pequeninos, um...