Todos os posts sobre Literatura para adultos
Postado em 4 de junho de 2016 por Lu Bento

Olá Pessoal! Estavam  com saudades do LêproErê?  O blog vai passar por uma reformulação em breve, o LêproErê vai virar uma atividade presencial no Quilombo Literário da InaLivros e um quadrinho específico pra crianças aqui no blog, então logo, logo teremos mudanças por aqui e será mais fácil encontrar as dicas de livros infantis. E no novo espaço Leituras Maternas falaremos sobre literatura mais adulta, assim tem espaço pra todo mundo e ainda mais conteúdo literário aqui no blog.

leproere16

Mas vamos ao que interessa nesse momento: livros! Hoje vou falar sobre dois livros infantis bem bonitos que eu conheci em maio e um  livro que eu considero leitura obrigatória para pais de crianças negras.

Bora lá?


Diarabi e Mansa

DIARABI-E-MANSA_CAPA-FRONTAL-600x600Autor: Souleymane Mbodj

Ilustração: Judith Gueyfier

Editora: Viajante do Tempo

Onde Encontrar: InaLivros

Sinopse: Há muito, muito tempo, Mansa, um jovem príncipe africano, estava à procura de uma esposa. Mas ele recusava todas as princesas que seu pai lhe apresentava e repetia, sem cessar, que queria compartilhar sua vida com uma pessoa muito especial. Assim começa a história de Mansa, o jovem príncipe de coração puro. Sua generosidade guiará seus passos até a linda Diarabi. O amor que os unirá será único, mágico. Ninguém poderá destruí-lo. Nem mesmo os feitiços e o ciúme de uma bruxa. Nem mesmo a morte…

Que livro lindo! Sério, estou apaixonada pela história e pelas ilustrações dessa obra. É uma história de amor daquelas que superam qualquer obstáculo sabe? Mas com um toque de suspense que prende até mesmo aquelas crianças que não dão bola pra histórias melosas. O autor é um senegalês que vive na França  e tem se dedicado à transmissão da literatura oral africana, então o livro tem uma pegada muito gostosa de história contada oralmente. No final do livro ainda tem uma página linda, com explicações sobre palavras utilizadas ao longo do livro, apresentando um pouco da cultura africana e dos idiomas wolof, do Senegal, e mandiga, de Gâmbia, Guiné, Mali, Burkuna, Senegal e Costa do Marfim.


A Bela Wika Ya Wuwu

a bela wika yawuwuAutora: Neuza Lozano Peres

Ilustradora: Gabriela Guenther

Editora: BestBook

Sinopse: Baseado numa história real, Wika Yawuwu virou Francisca quando aqui chegou. Seus descendentes contam o que ouviam de seus antepassados, que Francisca viera ainda menina para o Brasil como parte do rapto perpetrado por homens que buscavam em várias regiões da África pessoas para escravizar.

É um livro que marca uma resistência africana à escravização, e também nos mostra um resgate de uma ancestralidade que é nossa também. Temos muito poucas referências sobre África e sobre nossa raízes africanas e ter uma história que é contata há gerações pode descendentes dessa mulher é reconfortante e inspirador.


Entre o mundo e eu

Entre o mundo e euAutor: Ta-Nehisi Coates

Editora: Objetiva

Sinopse: Tanehisi Coates é um jornalista americano que trabalha com a questão racial em seu país desde que escolheu sua profissão. Filho de militantes do movimento negro, Coates sempre se questionou sobre o lugar que é relegado ao negro na sociedade. Em 2014, quando o racismo voltou a ser debatido com força nos Estados Unidos, Coates escreveu uma carta ao filho adolescente e compartilha, por meio de uma série de experiências reveladoras, seu despertar para a verdade em relação a seu lugar no mundo e uma série de questionamentos sobre o que é ser negro na América. O que é habitar um corpo negro e encontrar uma maneira de viver dentro dele? Como podemos avaliar de forma honesta a história e, ao mesmo tempo, nos libertar do fardo que ela representa? Em um trabalho profundo que articula grandes questões da história com as preocupações mais íntimas de um pai por um filho, Entre o mundo e eu apresenta uma nova e poderosa forma de compreender o racismo. Um livro universal sobre como a mácula da escravidão ainda está presente nas sociedades em diferentes roupagens e modos de segregação.

Ser uma pessoa negra no Brasil não é tão diferente de ser uma pessoa negra nos Estados Unidos. A proximidade com que determinadas situações são narradas ao longo desse livro e as preocupações de Coates sobre como o racismo afeta diretamente a existência de seu filho são compartilhadas por nós, leitores e pessoas negras brasileiras. É uma leitura muito intensa e poderosa nesse sentido, fundamental para pais de crianças negras e importantíssima para introduzir a conversa sobre racismo com os nossos jovens. O livro aborda questões que não podemos mais fingir que não nos afetam.


Bom pessoal, foi isso!  Semana que vem continuamos com o LêproÊre, e deve sair quinta, como o esperado. Assim que eu tiver um posicionamento quanto as mudanças de layout do site , eu aviso direitinho ok? Enquanto isso, não deixem de ver as dicas de livros que eu publico também no blog da Ina, no site da InaLivros e no nosso projeto #100meninasnegras.

Até semana que vem!


 

Postado em 14 de janeiro de 2016 por Lu Bento

No LêproErê de hoje 3 livros que eu particularmente gosto muito e que eu estava louca pra comentar com vocês. Dois de um super ator voltadas para o público infantil e  outro para ler sozinha(o). Pronta pra conhecer essas obras?

leproere14

 

Livro: Cadernos de Rimas do João

caderno de rimas do joãoEditora: Pallas
Autor: Lázaro Ramos

Sim, o ator Lázaro Ramos é autor de livros infantis! Delícia descobrir que alguem que você admira é multitalentoso né? Cadernos de Rimas do João é o ssegundo livro de Lázaro e é uma obra muito linda. Já falei aqui o quanto me surpreendi com a recepção de Isha Bentia a um livro de poesias. Desde então passei a ter outros olhos para esse tipo de obra voltada para o público infantil, inclusive eu mesma passei a ler e a querer compreender mais a poesia. Mas isso é assunto para outro post. Hoje quero falar do livro de poesias do Lázaro, que de uma maneira muito gostosa nos presenteou com versos simples e curiosos de um eu-poético jovem que ao mesmo tempo que fala de Mãe,de Autoestima e de Acaso. Eu gostei muito do livro, não acho todas as poesias dele tenham agradado às meninas, mas també acho que ele seja mais adequado para um faixa etária maior que a delas ( talvez para crianças com mais de 6 anos).

Além disso, as ilustrações são muito bonitas, um trabalho super bem feito pelo ilustrador Mauricio Negro.

Caderno-de-rimas-do-Joo_ilustrao2

Onde encontra: InaLivros

Livro: A velha sentada

A Velha Sentada
Autor: Lázaro Ramos

Editora: Uirapuru

Esse é o primeiro livro do Lázaro e conta a historia de uma menina que não queria sair do computador, só queria ficar sentada em casa. A historia se desenrola em torno disso em um enredo e bem atual e que fala bastante às crianças de hoje em dia.

O estilo difere completamente da segunda obra do autor, tanto na escrita quanto na estética e formato do livro, mas acho que essa obra é muito adequada para a leitura individual e para ser utilizada em escolas. As ilustrações são bem fofas e chamam a atenção das crianças.

Onde encontrar: InaLivros

Livro: Olhos D’água

olhos dagua

Autora: Conceição Evaristo

Editora: Pallas

Gente, esse livro é uma bomba! Não por ele ser ruim, muito pelo contrário, ele é maravilhoso. A questão é que ele realmente abala as nossas estruturas. É um livro de contos

que fala muito da realidade da população negra, em especial, das mulheres. Conceição nos trás retratos de vivências negras que são marcados por dores, desencontros e fragmentações de nossa existência perpassadas pelo racismo estrutural na qual estamos inseridos e somos alvo. Como em todo livro que fala da população negra, a minha sensibilidade e empatia com as personagens fica ainda mais aflorada e por ser um livro que foca muito na maternidade, foi uma leitura muito impactante pra mim. Já no primeiro conto que dá título ao livro, cai em prantos dentro do ônibus, com moça ao meu lado me perguntando se estava tudo bem e eu tendo que explicar que era só um livro, talvez tentando me convencer também que não há por aí inúmeras pessoas tentando sobreviver nessa sociedade que nos desumaniza.

Não que seja um livro pessimista, pelo contrário, suas histórias intensas e de alta carga emocional nos alerta para a vida que existe além das nossas redes sociais e de convivência ou das novelas de tv.

Não tinha lido nada da Conceição Evaristo ainda, já acompanhava a fama dela e estava ansiosa pra conhecer a obra da autora, e posso afirmar que foi ainda melhor do que eu esperava. Olhos d’água é uma obra que vale muito a leitura, só recomendo que você esteja e um momento emocionalmente bom, pois não é aquela leitura leve e divertida. É uma leitura densa e carregada de emoções, e que ao final, no deixa com a certeza de que um dos maiores atributos da negritude é a resistência.

Onde encontrar: InaLivros

Bom galera, foi isso! Semana que vem tem mais LêproErê!

Postado em 7 de janeiro de 2016 por Lu Bento

No LêproErê de hoje um livro maravilho que foi lançado no final do ano passado e uma surpresinha pra vocês que acompanham o blog (e a página!) da mãe preta. Bora começar os trabalhos de 2016 porque esse ano promete muita novidades e coisas boas!

leproere13

 

Livro: Quando me descobri negra

descobri-negra4Autora: Bianca Santana

Editora: SESI-SP

 

Gente, que livro lindo!  Quando me descobri negra é uma coletânea de cronicas e relatos sobre negritude e identidade que toca o coração. Então, esse livro é assim.

Eu tive o imenso prazer de ler alguns textos do livro antes mesmo de sua publicação por fazer parte junto com a autora do Círculo de Mulheres Negras da Casa de Lua, uma casa feminista de São Paulo. E desde a primeira leitura fiquei encantada com a cadência da escrita de Bianca. Não é (só) porque ela é minha amiga não, mas Quando me descobri negra trás alguns recortes do cotidiano que com os quais nos identificamos e que nos faz perceber que a sutileza do racismo e do preconceito em alguns momentos não deixa marcas tão sutis em que é alvo. Pelo contrário, faz com que a pessoa passe por uma negação da sua própria negritude e  o processo de resgate dessa identidade é também um processo de curas e reconhecimento das suas características físicas e ancestrais.

A leitura é rápida e super fluida, não é nem de longe um livro cansativo de se ler. Excelente leitura inclusive para quem não tem tanto o hábito de ler e uma boa indicação de livro para jovens que estão na efervescência do processo de construção da própria identidade.

Tive o prazer de participar do lançamento do livro com a InaLivros e posso dizer que ele é um dos nossos campeões de vendas nesse fim de ano. E todo mundo tem dado um retorno super positivo, dizendo que gostou muito do livro e se emocionou com ele.

Onde encontrar: InaLivros | site do livro

Por esses motivos, Quando me descobri negra foi escolhido como o primeiro brinde dos nossos sorteios do blog, e como a Bianca é uma pessoa linda, consegui um exemplar com um autografo lindo para a ganhadora. Corre lá na página do sorteio e e participe!

Postado em 16 de abril de 2015 por Lu Bento

Olá pessoal! No LêproErê de hoje dois livros pra agitar as brincadeiras com os pequenos e ajudá-los a conhecer o mundo ao seu redor. Vamos conferir?

 

16 - LêproErê

 

Livro: 150 jogos para a estimulação infantil

 

150 jogos para a estimulação infantil

Autores: Jorge Batllori e Victor Escandell

Editora: Ciranda cultural

 

No LêproErê de hoje um livro muito legal pra se ter em casa e incrementar as brincadeiras com as crianças. São brincadeiras simples, super tranquilas de serem feitas com o que tem em casa, e na maioria das vezes não precisa de nada além disposição pra brincar com os pequenos.

Comprei numa das feiras de livro de shopping, e foi bem legal porque me ajudou a incrementar as brincadeirinhas com as meninas. São atividades que podem ser feitas desde o nascimento até aproximadamente 3 anos e pra mim, mãe de primeira viagem sem crianças próximas na família e morando longe dos parentes, foi bem útil pra me ajudar a interagir com as meninas de maneira que fosse estimulante e divertida pra elas.

Não que seja uma leitura fundamental sem a qual você com conseguirá se conectar, interagir e estimular o seu pequeno. Nada disso. Mas é bem legal pra ajudar a variar o repertório. Até porque ficar brincando de sumiu-achou o dia inteiro às vezes enche o saco.

Livro: 50 maneiras de criar um bebê sem frescura

50 maneiras

Autor: Jenny Rósen

Editora:Panda Books

Essa é outra dica pras mães de primeira viagem que estão apreensivas sobre como criar um bebê. Sim, é um livro com dicas óbvias pra quem já tem filhos. Mas pra quem ainda não tem, às vezes é complicado decidir o que deixar o bebê fazer ou não deixar. Queremos ser zelosas, sem ser fresca. E definir esse limite nem sempre é fácil.

Eu gostei bastante porque li durante a gravidez, então já fui pensando aos poucos o que poderia ser aceitável pra mim ou não. Foi legal pra que eu colocasse logo Isha Bentia no chão, desse liberdade pra ela se sujar, experimentar, aprender texturas, sabores…

Eu tinha medo de ser uma mãe muito fresca, de não deixar a menina fazer nada, de ficar enlouquecida com germes e bactérias que existem em todo lugar… e o livro me ajudou a ser uma mãe que cria suas filhas no mundo real.

De quebra, a ajuda a gente a perder o preconceito com as famílias que tem bichinhos de estimação que tem contato com o bebê desde cedo. Coisas de quem não foi criada com bichos!


Então pessoal, esse foi o LêproErê essa de semana! Se você tem indicações de livros que quer ver por aqui escreva pra gente: contato@amaepreta.com.br

Até o próximo!

Postado em 2 de abril de 2015 por Lu Bento

 

No LêproErê dessa semana um livro pequenininho com uma mensagem bem poderosa. Você precisa conhecer essa autora cubana e vai se surpreender em como um livro aparentemente curto pode ser tão impactante.

14

 

Livro Juvenil

LêproErê - Cartas para a minha mãe

Livro:Cartas a minha mãe

Autora: Teresa Cárdenas

Editora:Pallas

Esse é um livrinho pequenininho de uma autora cubana parece que não é de nada. Mas na realidade, através de cartas que uma menina órfã escreve para sua mãe morta, sentimos a cada página como o racismo e o machismo podem ser destrutivo na vida das mulheres. O livro trata de relações fragmentadas e do sofrimento que tudo isso causa numa menina.

Quando eu li, estava fragilizada pela internação de Mini Bentia. Coincidiu com um momento que eu estava voltando a ler sobre feminismo, voltando a me envolver mais nas discussões sobre questão racial. Talvez tudo isso me fez ficar bem impactada pela crueldade com que a avó e a tia tratam a menina, e por toda a dor que permeia as relações estabelecidas entre as personagens.

A editora coloca o livro como juvenil. Primeiro eu tive uma certa resistência a essa classificação, achei o livro muito pesado. Depois, pensando com a minha cabeça de professora, vejo que daria uma boa leitura complementar para uma aula de sociologia. A leitura em si flui muito bem e é bem rápida, o livro é bem curtinho.  Mas quando você se envolve com o sofrimento das personagens, não é uma leitura nada leve.

Teresa Cárdenas é uma premiada escritora cubana e escreve muito bem sobre ancestralidade. Conheça mais sobre a autora!

Resumindo: não é gostosinho de ler, apesar de ser bem escrito e bem traduzido,  mas é importante para que a gente não caia nessas armadilhas do patriarcado que constantemente coloca as mulheres umas contra as outras.


Esse o foi LêproErê da semana! Até o próximo.

Postado em 5 de março de 2015 por Lu Bento

No LêproErê de hoje mais um livro que eu adoro. Até porque parar pra escrever sobre livros que eu não gosto não está rolando por enquanto. Então vamos lá! 

11

Livro: Deus, essa gostosa

Deus, essa gostosa

Autor: Rafael Campos Rocha

Editora: Companhia das Letras

A mãe preta aqui ADORA quadrinhos. Vira e mexe vai ter dica de quadrinhos por aqui,  se reclamar vai ter mais então não se espantem. O de hoje é voltado para o público adulto (quadrinhos não é só coisa de criança!) Na semana do dia internacional da mulher, um quadrinho com uma protagonista feminina e empoderada.

Nessa história Deus é mulher, é negra e é sexualmente livre. Combinação interessante, não? Eu quando vi, adorei de cara! Além da mega desconstrução que o autor faz, o livro se destaca pelo humor extremamente inteligente e cheio de referências a grandes pensadores. Nessa graphic novel Deus é muito gente boa, amiga de todo mundo e tem uma quedinha por Satã. Deus, essa gostosa é uma das obras mais irreverentes que eu já tive contato!

Essa série era originalmente publicada por e-mail para os amigos do autor, passou a ser publicada na Folha de São Paulo até sair em livro. Uma pena que eu só conheci há poucos meses, porque eu estou curtindo muito. No blog do autor é possível acompanhar as tirinhas e se divertir com as aventuras de Deus.

Ah, pra quem ficou um pouco intrigado com essa desconstrução de um ícone religioso, o autor passa longe do estilo Charlie Hebdo de humilhar a religião alheia. Vale a pena conferir.

Até a próxima!

Postado em 26 de fevereiro de 2015 por Lu Bento

No LêproErê de hoje mais 2 livros pra me redimir da falta de regularidade nas postagens! A partir de agora, LêproErê toda quinta-feira por aqui (essa é a intenção!). Um livro pra aquecer o coração das mamães e outro pra encantar as crianças.

10

 Livro Adulto

LêproErê - Ser mãe é tudo de bom

Livro: Ser mãe é tudo de bom – A maternidade na visão de mães brasileiras famosas

Autor: Várias

Editora: Matrix

Ganhei esse livro de presente após o nascimento da Mini Bentia, bem no meio da minha deprê pós-parto. Estava me achando a pior das mães, e ver a maternidade pelos olhos de outras mães foi bem gostoso. No fim, nossos problemas não são tão diferentes dos problemas das outras mães.

Uma leitura leve e descontraída.  Uns textos são melhores, outros podem ser considerados meio fracos mas acho que mais do que a qualidade do texto, o livro vale muito a pena pela mensagem que passa. Um livro carregado de sentimento e que deixou meu coração cheio de ternura quando terminei a leitura.

É muito reconfortante ver que cada um passa pelas suas dificuldades, cada um leva a vida de uma forma.

E tem outro motivo pro livro valer a pena: os direitos autorais do livro foram cedidos para o Amparo Maternal, em São Paulo, uma entidade que atende gestantes sem condições financeiras. Uma boa causa não é mesmo?

Livro Infantil

LêproErê livro-poster das princesas

Livro: Meu Livro-pôster de Princesas

Editora: Ciranda Cultural

Esse livro é lindo demais! Comprei pras meninas porque Isha Bentia começou a ter contato com as princesas da Disney no colégio. Não acho que a Disney seja uma boa referência em termos de princesas, então decidi apresentar a ela também outras princesas pra que não ficasse com a visão tão limitada nesse sentido.

O livro trás 10 pôsteres gigantes com histórias de princesas de diferentes partes do mundo. Os pôsteres são destacáveis e a ideia é usá-los na decoração do quarto das meninas. Ainda não destacamos os pôsteres, então o livro fica bem guardadinho porque se ficar na mão delas é certo que será rasgado.

A editora sugere que a capa do livro seja usada com pasta para desenhos depois que os pôsteres forem destacados.


Bom, essas foram as dicas do LêproErê de hoje. Espero que vocês tenham gostado. Quer sugerir um livro? Manda um e-mail pra gente: contato@amaepreta.com.br

Até semana que vem, pessoal!

Postado em 23 de janeiro de 2015 por Lu Bento

LêproErê é um espaço do nosso blog pra falarmos sobre livros. Não só sobre livros infantis, mas também livros paradidáticos, quadrinhos, livros sobre criação de filhos, livros sobre educação e literatura em geral. A ideia do espaço é comentar e divulgar obras que de alguma forma contribuam para o empoderamento das mães pretas,  de suas filhas e  seus filhos.

7

A princípio farei comentários sobre livros que eu li e livros que eu li com as minhas filhas. Se você tiver lido algum livro que seja uma boa indicação para as mães pretas deste espaço mande sua contribuição, com o título LêproErê para o nosso e-mail: contato@amaepreta.com.br

Pra começar bem, vamos falar logo de 3 livros. Um infantil, um infantojuvenil e um para adultos.

Infantil

Omo-Oba
Livro: Omo-Oba – Histórias de Princesas
Autora: Kiusam de Oliveira
Ilustrações: Josias Marinho

 

“As histórias desse livro mostram como princesas se tornaram, mais tarde, rainhas.” Assim Kiusam de Oliveira começa a apresentação do seu livro. Já deu vontade de ler né? Ainda mais eu que sou mãe de duas meninas e me preocupo muito em apresentar elementos que elevem a autoestima delas e as ajude a lidar com o preconceito a que estamos sujeitas. Nesse livro, a autora conta alguns contos de orixás de uma forma bem lúdica e simples, perfeito pra crianças terem um primeiro contato com essas histórias. A linguagem é simples e bem delicada, sempre elogiando as figuras femininas. Eu achei lindo!

Isha Bentia adora pegar o livro e ficar apontando as princesas e dizendo quem é quem “essa é a Mini Bentia, essa é a mamãe, essa é a vovó, essa sou eu…” Só de poder pegar um livro e ter essa identificação já me apaixonei.

Como a própria Kiusam fala, ela reforça características que julga serem capazes de empoderar meninas de todos os tempos.

E pra completar,  a galera do LivroClip fez um clip fofíssimo com uma dessas histórias. Confere aí:

Livro infanto-juvenil

LêproErê - Aya1LêproErê - Aya2

Livro: Aya de Youpongon
Autor: Marguerite Abouet
Ilustrador: Clément Oubrerie

Para os adolescentes – e os adultos também – a dica de hoje é uma série de histórias em quadrinhos chamada no Brasil de Aya de Youpongon. Aya é uma adolescente da Costa do Marfim que, junto com suas amigas Bintou e Adjoua, vive os mesmos dilemas de tantas outras jovens de sua geração: garotos, gravidez na adolescência, festas e dúvidas sobre o futuro. Eu adoro quadrinhos e quando vi as histórias de Aya me apaixonei. Minha afilhada adolescente também gostou. A série conta com 5 volumes, mas infelizmente só foram lançadas no Brasil as duas primeiras partes da história. Tomara que os outros volumes sejam publicados no Brasil!

Confere aqui o vídeo da LPM Editores promovendo o livro:

Livro Adulto

Americanah

Livro: Americanah

Autora: Chimamanda Ngozi Adichie

Editora: Companhia das Letras

Gente, que livro é esse???? Não sei como eu ainda não tinha lido a Chimamanda! Ela é ótima! Americanah é um livro dinâmico e envolvente, conta a a história de Ifemelu e Obinze, um casal de nigerianos que se afasta quando Ifemelu vai pros Estados Unidos estudar. O livro, ora na visão de Ifemelu, ora na de Obinze conta um pouco sobre como é a vida dos imigrantes africanos fora do seu país de origem.

É um banho de autoestima e empoderamento feminino. Ifemelu é minha diva, e foi o estopim para que eu tomasse coragem e começasse o blog. Mal acabei de ler Americanah já percebi que eu precisava ler tudo que a Chimamanda tivesse escrito. Já estou com 2 livros dela na fila e em breve eles estarão por aqui também.  Leitura super recomendada!

Pra completar, existe um clube do livro no facebook para discussão de literatura negra. O livro debatido esse mês é Americanah. Já leu o livro e quer participar? Se inscreve aqui!

Começamos com 3 excelentes livros que eu adoro!

Até o próximo!

Veja mais em Literatura e Literatura infantil e Literatura para adultos

4 de junho de 2016 Olá Pessoal! Estavam  com saudades do LêproErê?  O blog vai passar por uma reformulação em breve, o LêproErê vai...
14 de janeiro de 2016 No LêproErê de hoje 3 livros que eu particularmente gosto muito e que eu estava louca pra comentar com vocês....
7 de janeiro de 2016 No LêproErê de hoje um livro maravilho que foi lançado no final do ano passado e uma surpresinha pra...
16 de abril de 2015 Olá pessoal! No LêproErê de hoje dois livros pra agitar as brincadeiras com os pequenos e ajudá-los a conhecer...
2 de abril de 2015   No LêproErê dessa semana um livro pequenininho com uma mensagem bem poderosa. Você precisa conhecer essa autora cubana...