Todos os posts sobre Literatura infantil
Postado em 11 de julho de 2018 por Lu Bento

Vamos falar de literatura e esportes? No LêproErê  dessa semana, dois livrinhos que batem um bolão! As vibrações da Copa do Mundo já vão se dissipando, mas o espírito esportivo continua vivo por aqui. Esporte e infância tem tudo a ver. Confira as dicas de literatura infantil de hoje.

 

A turma do Elias em O bullying não tem vez

esporte - a turma do eliasAutor: Elias Mendes Trindade

Ilustrador: Alessandro Almeida

Editora: Uirapuru

Sinopse: Elias e seu irmãozinho Davi se prepararam para ingressar numa escola nova, mas logo no primeiro dia Elias presencia uma cena de bullying contra Vinícius, um garoto que a turma do Pedrão insiste em maltratar. Somente um desafio poderá dar solução a esse problema: uma partida de futebol. Acompanhe esse confronto em que inteligência, planejamento e força-bruta são colocados em jogo.

 

O livro foi escrito pelo jogador de futebol  do Atlético Mineiro, Elias Trindade, que aborda um tema frequente nas relações infantis, o bullying. A utilização do esporte como pano de fundo torna lúdica a aboradagem desse tema e ajuda a promover uma aprendizado mais orgânico. Me incomoda um pouco a abordagem do racismo enquanto bullying, e esse ponto merece atenção e cuidado. Bullying e racismo não são a mesma coisa. Mas apesar disso, acho o livro uma boa pedida para se trabalhar esses temas com as crianças.

Elias é criador do Projeto Elias, uma iniciativa social de apoio e incentivo ao esporte para crianças da região do Parque Novo Mundo, em SP, onde o jogador cresceu.

Maira- a alegre campeã

esporte - maira a alegra campeãAutora: Maíra Brochado Ranzeiro

Ilustrações: J. Rafael

Editora: autopublicado

Sinopse: Maira é uma menina muito alegre com olhos de jabuticaba e pele negra que se encantou pelo mundo dos esportes em especial por esse criativo jogo de bolinhas e raquete, o tênis de mesa, e brincando aprendeu a ter disciplina,foco, concentração e persistência .
Contudo a alegre menina ao saber que estava chegando o dia do seu primeiro campeonato ficou ansiosa e com medo, mas com o amor e apoio de sua família recuperou sua confiança e decidiu se divertir e jogar com alegria.O livro é baseado em fatos reais e conta a trajetória da autora Maira Ranzeiro, primeira negra campeã brasileira de tênis de mesa, e revela um papel social muito importante, pois apesar do Brasil ser constituído em sua maioria pela população negra (54%), ainda se fala muito pouco da presença negra em diferente setores da sociedade.

Cada vez que eu vejo uma menina negra se destacando em um área pouco falada, a primeira coisa que eu penso é “menina negra pode tudo”. Esse é o meu mantra para reconhecer as nossas potencialidades em todas as áreas, por mais improvável que possa parecer. Repeti esse mantra assim que soube da maravilhosa história de Maíra Ranzeiro, mesa-tenista campeã brasileira ao 15 anos.  E Maíra segui acumulando conquistas: bicampeã Latino-Americana, primeira colocada no Ranking Nacional de Tenis de Mesa e Melhor Atleta do Ano de 2017.  Mas o mais importante de tudo isso é que Maíra nutriu a vontade de compartilhar suas conquistas no esporte com outras crianças através da literatura infantil, e hoje temos a oportunidade de incentivar nossos pequenos e pequenas com esse livro maravilhoso.

Maira, a alegre campeã traz essa representatividade que a gente tanto fala e busca, e também tem o potencial de inspirar muitas pessoas através das conquistas da menina Maira. A autora está com uma campanha de financiamento para uma nova edição do livro, e se você quiser saber mais e colaborar, acesse o site e siga seu perfil no instagram.

 

 

 

 

Postado em 1 de julho de 2018 por Lu Bento

No LêproErê de hoje uma graphic novel que faz justiça a um personagem tão desvalorizado da Turma da Mônica e ainda traz um menino negro como protagonista retratado de uma forma positiva e inspiradora ( algo raro nos livros com protagonistas masculinos negros).

Jeremias – Pele

LeproEre - Jeremias Autores e ilustradores: Rafael Calça e Jefferson Costa

Editora: Panini  Comics

 

Jeremias é um dos personagens mais antigos de Maurício de Sousa, foi criado em 1960 quando o autor ainda publicava suas histórias em tirinhas dos jornais. Mas Jeremias nunca protagonizou uma revistinhas. As poucas histórias protagonizadas por ele só surgiram a partir de 83, e ele mal aparece ou tem falas nas historinhas de outros personagens.

Digo tudo isso para contextualizar a importância histórica de Jeremias – Pele, graphic novel da  série Graphic MSP que traz releituras de personagens de Mauricio de Sousa escritas e ilustradas por diferentes quadrinistas. Jeremias é a 18ª graphic novel da série, que é voltada para jovens e adultos e  foi criada em 2012.  Estamos em 2018 e só agora Jeremias foi lembrado, inclusive depois de  mais de uma edição protagonizadas pela Mônica, pelo Bidu ou pelo Astronauta. Sinal do total desprezo que o personagem sofre.

Não sei o que fez Jeremias ser lembrado ( dado o histórico de desprezo nos mais de 50 anos do personagem), o importante é que Rafael Calça e Jefferson Costa fizeram a melhor releitura possível do personagem, trazendo a masculinidade negra  para o centro do debate. Por ser escrita por um homem negro, a HQ fala sobre racismo na infância, com enfase para os sentimentos e os mecanismos de defesa que as pessoas negras, e especificamente, os homens negros, desenvolvem para sobreviver.

Meninos negros são constantemente vistos de forma negativa na sociedade, como bandidos em potencial. Jeremias -Pele confere humanidade e sensibilidade à visão do senso comum diante da masculinidade negra. O tema do preconceito racial na infância é fundamental de ser abordado, mas destaco também a importância da relação pai-filho e da afetividade entre homens negros. Como mulher negra, que já está “acostumada” a ver produções que abordem o racismo, me surpreendeu  e emocionou muito encontrar essas relações entre homens negros tão lindamente retratada em múltiplas possibilidades: pai-filho; avô-neto, entre meninos negros.

Jeremias demorou muito para ser valorizado. Mas sua hora chegou. Maurício de Sousa faz sua mea-culpa dizendo que  a partir de agora todos no estúdio estarão “mais atentos à realidade que nos cerca.” Para nós, negros, não vale a pena esperar muita coisa de um estúdio que sempre o tratou como coadjuvante dos coadjuvantes. A maravilhosa releitura do personagem nessa narrativa forte, emocionante e extremamente realista, finalmente honrou um personagem discriminado e mostrou todo o seu potencial.

Como a maioria das HQs, Jeremias -Pele tem um conteúdo extra, com alguns esboços dos desenhos, o histórico do personagem nas obras de Mauricio de Sousa e um conteúdo sobre elementos significativos da história dos negros no Brasil que aparecem ao longo da trama.

Recomendo muito essa HQ para meninos e jovens e homens negros, principalmente pela relação entre gerações. Mas a leitura é maravilhosa para todos os públicos, é um material com um potencial didático enorme para educadores, tanto para atividades com os alunos quanto para repensar práticas e atitudes (os professores têm papel importante na reprodução ou não de atitudes preconceituosas em ambiente escolar, como a HQ demostra com muita presteza).

 

Meu amor pelo livro:

 

 

 

 


Se você gostou dessa dica e quer adquirir o livro, compre pelo nosso link da Amazon. Assim você ajuda a manter o AMP no ar.

Postado em 18 de agosto de 2016 por Lu Bento

Fala galera! No LêproErê de hoje eu trago dois livros sobre culturas bem diferentes da nossa brasileira. Porque a literatura infantil também pode ser uma ferramenta para apresentarmos outros mundos pras nossas crianças, não é mesmo? Então, acompanhe essas dicas.

Uma idéia  luminosa

Autor: Rogério Andrade Barbosa

Ilustradora: Thaís Linhares

Editora: Pallas

 

 

Eritréia. Quantas vezes ouvimos falar sobre esse país? Rogério Andrade Barbosa nos apresenta neste livro um reconto tradicional deste país africano que fica no chamado chifre da África. A história fala sobre o pai que desafia os filhos a resolver um difícil problema. Ao longo da narrativa, vemos que a solução surge da criatividade.

Com o texto bem fluido,o livro rende uma excelente contação de histórias e pode servir de introdução a atividades que estimulam a inovação e o pensamento criativo.

 

Hime

Autor: Júlio Emilio Braz

Ilustradores: Thiago Fernandes, Elvis P. Silva e Jonny J. Silva

Editora: Uirapuru

 

Neste reconto, Júlio Emilio Braz nos apresenta um tradicional história japonesa sobre um casal de idosos que sonhava em ter um filho. Um dia são agraciados com uma menina, que cresce rápido e se torna uma bela mulher. Diante de vários pedidos de casamento, o velho pai decide propor desafios para os pretendentes e postergar o casamento da filha. Ao longo da história descobrimos coisas surpreendentes sobre essa menina que chegou de surpresa na vida deste casal e que diferem totalmente das histórias de princesas que conhecemos.

Uma linda história vinda de uma cultura tão diferente da nossa que enriquece nosso repertório cultural e amplia nossa maneira de ver o mundo.

 


Gostaram? Já conheciam esses livros? Conte pra gente aí nos comentários.

Até a próxima!

Postado em 6 de julho de 2016 por Lu Bento

Fala galera! No LêproErê dessa semana dois livros bem fofinhos com protagonistas negras. Estou tão envolvida com essas leituras para o Projeto #100meninasnegras que não resisti em compartilhar algumas das leituras que faço pra lá com vocês. Bora lá?

4

Entremeio sem babado

Entremeio seem babado

Autora: Patrícia Santana

Editora: Mazza Edições

Esse é um livro sobre uma menina que adora falar. Ela quer perguntar tudo, quer saber de tudo, se mete em todos os assuntos. Mas ao invés de ser vista como uma menina chata e fofoqueira pela família, é chamada de curiosa. Isso faz toda diferença no modo como tratamos nossas crianças né? Kizzy tem suas características valorizadas pela família. Outro ponto que eu gosto muito nesse livro é que ela fala de nomes africanos. Kizzy é um nome de origem XXX que signnifica XXX. Além da explicação do nome da menina Kizzy, o livro trás o significado  e a origem de outros nomes, o que pode ser um ponto de partida bem interessante para que as crianças pesquisem sobre seus próprios nomes.

Cheirinho de Neném

Cheirinho_de_nenem Autora: Patrícia Santana

Editora: Mazza Edições

Esse livro da é mesma autora do livro anterior e segue a mesma linha fofinha e de leitura gostosa. Nessa história, a menina Iara ganha um irmãozinho, Abayomi, e fala da alegria de ter um bebezinho em casa. Além de ser um livro bem gostosinho, as ilustrações do Thiago Amormino são maravilhosas. Sabe aquele traço arredondado que atraí a criançada? Então, o livro segue bem esse estilo. A menina Iara tem mãe e pai negros, a mãe com um lindo black e o pai com dreads ou tranças (não dá bem pra saber). Isso é incrível em um livro infantil, principalmente numa sociedade como a nossa em que negros raramente são representados como uma família, e quando são, quase sempre apresentam uma família desestruturada. Ver uma família negra unida, falando só de amor e cuidado é um afago a nossa autoestima e uma representação positiva que temos que levar pra nossas crianças.


E aí, curtiram? Espero que sim. Essas livrinhos são daquele tipo que a gente precisa ler e reler inúmeras vezes porque as crianças adoram a história. Você já leu?

Postado em 4 de junho de 2016 por Lu Bento

Olá Pessoal! Estavam  com saudades do LêproErê?  O blog vai passar por uma reformulação em breve, o LêproErê vai virar uma atividade presencial no Quilombo Literário da InaLivros e um quadrinho específico pra crianças aqui no blog, então logo, logo teremos mudanças por aqui e será mais fácil encontrar as dicas de livros infantis. E no novo espaço Leituras Maternas falaremos sobre literatura mais adulta, assim tem espaço pra todo mundo e ainda mais conteúdo literário aqui no blog.

leproere16

Mas vamos ao que interessa nesse momento: livros! Hoje vou falar sobre dois livros infantis bem bonitos que eu conheci em maio e um  livro que eu considero leitura obrigatória para pais de crianças negras.

Bora lá?


Diarabi e Mansa

DIARABI-E-MANSA_CAPA-FRONTAL-600x600Autor: Souleymane Mbodj

Ilustração: Judith Gueyfier

Editora: Viajante do Tempo

Onde Encontrar: InaLivros

Sinopse: Há muito, muito tempo, Mansa, um jovem príncipe africano, estava à procura de uma esposa. Mas ele recusava todas as princesas que seu pai lhe apresentava e repetia, sem cessar, que queria compartilhar sua vida com uma pessoa muito especial. Assim começa a história de Mansa, o jovem príncipe de coração puro. Sua generosidade guiará seus passos até a linda Diarabi. O amor que os unirá será único, mágico. Ninguém poderá destruí-lo. Nem mesmo os feitiços e o ciúme de uma bruxa. Nem mesmo a morte…

Que livro lindo! Sério, estou apaixonada pela história e pelas ilustrações dessa obra. É uma história de amor daquelas que superam qualquer obstáculo sabe? Mas com um toque de suspense que prende até mesmo aquelas crianças que não dão bola pra histórias melosas. O autor é um senegalês que vive na França  e tem se dedicado à transmissão da literatura oral africana, então o livro tem uma pegada muito gostosa de história contada oralmente. No final do livro ainda tem uma página linda, com explicações sobre palavras utilizadas ao longo do livro, apresentando um pouco da cultura africana e dos idiomas wolof, do Senegal, e mandiga, de Gâmbia, Guiné, Mali, Burkuna, Senegal e Costa do Marfim.


A Bela Wika Ya Wuwu

a bela wika yawuwuAutora: Neuza Lozano Peres

Ilustradora: Gabriela Guenther

Editora: BestBook

Sinopse: Baseado numa história real, Wika Yawuwu virou Francisca quando aqui chegou. Seus descendentes contam o que ouviam de seus antepassados, que Francisca viera ainda menina para o Brasil como parte do rapto perpetrado por homens que buscavam em várias regiões da África pessoas para escravizar.

É um livro que marca uma resistência africana à escravização, e também nos mostra um resgate de uma ancestralidade que é nossa também. Temos muito poucas referências sobre África e sobre nossa raízes africanas e ter uma história que é contata há gerações pode descendentes dessa mulher é reconfortante e inspirador.


Entre o mundo e eu

Entre o mundo e euAutor: Ta-Nehisi Coates

Editora: Objetiva

Sinopse: Tanehisi Coates é um jornalista americano que trabalha com a questão racial em seu país desde que escolheu sua profissão. Filho de militantes do movimento negro, Coates sempre se questionou sobre o lugar que é relegado ao negro na sociedade. Em 2014, quando o racismo voltou a ser debatido com força nos Estados Unidos, Coates escreveu uma carta ao filho adolescente e compartilha, por meio de uma série de experiências reveladoras, seu despertar para a verdade em relação a seu lugar no mundo e uma série de questionamentos sobre o que é ser negro na América. O que é habitar um corpo negro e encontrar uma maneira de viver dentro dele? Como podemos avaliar de forma honesta a história e, ao mesmo tempo, nos libertar do fardo que ela representa? Em um trabalho profundo que articula grandes questões da história com as preocupações mais íntimas de um pai por um filho, Entre o mundo e eu apresenta uma nova e poderosa forma de compreender o racismo. Um livro universal sobre como a mácula da escravidão ainda está presente nas sociedades em diferentes roupagens e modos de segregação.

Ser uma pessoa negra no Brasil não é tão diferente de ser uma pessoa negra nos Estados Unidos. A proximidade com que determinadas situações são narradas ao longo desse livro e as preocupações de Coates sobre como o racismo afeta diretamente a existência de seu filho são compartilhadas por nós, leitores e pessoas negras brasileiras. É uma leitura muito intensa e poderosa nesse sentido, fundamental para pais de crianças negras e importantíssima para introduzir a conversa sobre racismo com os nossos jovens. O livro aborda questões que não podemos mais fingir que não nos afetam.


Bom pessoal, foi isso!  Semana que vem continuamos com o LêproÊre, e deve sair quinta, como o esperado. Assim que eu tiver um posicionamento quanto as mudanças de layout do site , eu aviso direitinho ok? Enquanto isso, não deixem de ver as dicas de livros que eu publico também no blog da Ina, no site da InaLivros e no nosso projeto #100meninasnegras.

Até semana que vem!


 

Postado em 14 de janeiro de 2016 por Lu Bento

No LêproErê de hoje 3 livros que eu particularmente gosto muito e que eu estava louca pra comentar com vocês. Dois de um super ator voltadas para o público infantil e  outro para ler sozinha(o). Pronta pra conhecer essas obras?

leproere14

 

Livro: Cadernos de Rimas do João

caderno de rimas do joãoEditora: Pallas
Autor: Lázaro Ramos

Sim, o ator Lázaro Ramos é autor de livros infantis! Delícia descobrir que alguem que você admira é multitalentoso né? Cadernos de Rimas do João é o ssegundo livro de Lázaro e é uma obra muito linda. Já falei aqui o quanto me surpreendi com a recepção de Isha Bentia a um livro de poesias. Desde então passei a ter outros olhos para esse tipo de obra voltada para o público infantil, inclusive eu mesma passei a ler e a querer compreender mais a poesia. Mas isso é assunto para outro post. Hoje quero falar do livro de poesias do Lázaro, que de uma maneira muito gostosa nos presenteou com versos simples e curiosos de um eu-poético jovem que ao mesmo tempo que fala de Mãe,de Autoestima e de Acaso. Eu gostei muito do livro, não acho todas as poesias dele tenham agradado às meninas, mas també acho que ele seja mais adequado para um faixa etária maior que a delas ( talvez para crianças com mais de 6 anos).

Além disso, as ilustrações são muito bonitas, um trabalho super bem feito pelo ilustrador Mauricio Negro.

Caderno-de-rimas-do-Joo_ilustrao2

Onde encontra: InaLivros

Livro: A velha sentada

A Velha Sentada
Autor: Lázaro Ramos

Editora: Uirapuru

Esse é o primeiro livro do Lázaro e conta a historia de uma menina que não queria sair do computador, só queria ficar sentada em casa. A historia se desenrola em torno disso em um enredo e bem atual e que fala bastante às crianças de hoje em dia.

O estilo difere completamente da segunda obra do autor, tanto na escrita quanto na estética e formato do livro, mas acho que essa obra é muito adequada para a leitura individual e para ser utilizada em escolas. As ilustrações são bem fofas e chamam a atenção das crianças.

Onde encontrar: InaLivros

Livro: Olhos D’água

olhos dagua

Autora: Conceição Evaristo

Editora: Pallas

Gente, esse livro é uma bomba! Não por ele ser ruim, muito pelo contrário, ele é maravilhoso. A questão é que ele realmente abala as nossas estruturas. É um livro de contos

que fala muito da realidade da população negra, em especial, das mulheres. Conceição nos trás retratos de vivências negras que são marcados por dores, desencontros e fragmentações de nossa existência perpassadas pelo racismo estrutural na qual estamos inseridos e somos alvo. Como em todo livro que fala da população negra, a minha sensibilidade e empatia com as personagens fica ainda mais aflorada e por ser um livro que foca muito na maternidade, foi uma leitura muito impactante pra mim. Já no primeiro conto que dá título ao livro, cai em prantos dentro do ônibus, com moça ao meu lado me perguntando se estava tudo bem e eu tendo que explicar que era só um livro, talvez tentando me convencer também que não há por aí inúmeras pessoas tentando sobreviver nessa sociedade que nos desumaniza.

Não que seja um livro pessimista, pelo contrário, suas histórias intensas e de alta carga emocional nos alerta para a vida que existe além das nossas redes sociais e de convivência ou das novelas de tv.

Não tinha lido nada da Conceição Evaristo ainda, já acompanhava a fama dela e estava ansiosa pra conhecer a obra da autora, e posso afirmar que foi ainda melhor do que eu esperava. Olhos d’água é uma obra que vale muito a leitura, só recomendo que você esteja e um momento emocionalmente bom, pois não é aquela leitura leve e divertida. É uma leitura densa e carregada de emoções, e que ao final, no deixa com a certeza de que um dos maiores atributos da negritude é a resistência.

Onde encontrar: InaLivros

Bom galera, foi isso! Semana que vem tem mais LêproErê!

Postado em 30 de julho de 2015 por Lu Bento

Olá pessoal! Hoje é quinta-feira e finalmente voltamos com o LêproErê! No post de hoje, uma história bem fofinha para exercitar a imaginação.

 

Livro: A menina e o tambor

Menina_Tambor1Autora: Sonia Junqueira

Ilustradora: Mariângela Haddad

Editora: Autêntica

Esse é um lindo livro de imagens, ou seja, um livro sem texto nenhum. Perfeito pra aguçar a nossa imaginação. A partir dos desenhos vamos deduzindo a história e isso faz com que ele possa ser lido tanto por adultos e quanto crianças não alfabetizadas. A partir das imagens, fui construindo a história com as meninas e foi maravilhoso!

Eu era meio reticente sobre livros de imagens, achava que era um desperdício fazer um livros e não escrever nada. Mas A menina e o tambor me fez libertar a minha criatividade e experimentar a construção da história junto com elas, com as palavras delas, sem que eu mesma me influenciasse com as palavras da autora.

Acabou que Isha Bentia (2a11m) ficou super feliz em poder ler um livro sozinha. Já combinamos que ela vai contar essa história pro papai essa noite. Mini Bentia (1a6m) não se concentra muito na leitura, mas eu indico o livro para os pequenininhos que estão começando a falar e a perceber as diferentes expressões faciais até aqueles que já estão quase lendo e já conseguem bem identificar os contextos dos desenhos e acompanhar a partir deles a evolução da história.

Esse foi o LêproErê de hoje. Espero que vocês tenham gostado.

 

 

 

Postado em 30 de abril de 2015 por Lu Bento

Chegamos à 10ª postagem do nosso LêproErê! Que delícia né? Que venham ainda mais dicas de livros pra criançada! Estou muito feliz em poder compartilhar minha dicas de leitura com vocês, espero que esteja sendo tão divertido e prazeroso pra vocês quanto tá sendo pra mim. Bora lá?

17

 

Livro Infantil

O mundo no black power de Tayó O mundo no black power de Tayó

Autora: Kiusam de Oliveira

Editora: Peirópolis

 

Tayó é uma menina negra que tem muito orgulho do seu cabelo crespo. Só essa premissa já faria o livro incrível, mas Kiusam consegue superar nossas expectativas nos apresentando uma menina esperta, consciente de sua negritude e de suas raízes africanas.

Esse livro é lindo e a temática é uma das mais marcantes para as mulheres negras. O cabelo, mas do que um atributo estético, é um elemento de identidade. Aprender a gostar do cabelo desde pequena é fundamental para a autoestima das crianças negras, principalmente das meninas, e esse livro faz um exaltação do cabelo crespo que nos inspira.

A menina Tayó enfrenta o racismo na escola com muita segurança e a firmeza de quem saber o seu valor. Estou louca para lê-lo pra minhas meninas, mas acho que elas ainda são um pouco pequenas pra acompanhar o livro todo. De qualquer forma, já são fãs da “tia” Kiusam por causa do livro Omo-Oba: histórias de princesas, que eu apresentei no LêproErê #01.

A edição é em capa dura, o que torna o livro bem resiste nas mãos dos pequenos. O mundo no black power de Tayó é um livro que eu recomendo pra todas as crianças pretas, principalmente para as meninas.

 


E aí, gostaram da dica de hoje? Espero vocês no próximo LêproErê! Até mais.

Postado em 9 de abril de 2015 por Lu Bento

No LêproErê de hoje dois  livros que as curicas adoram!  A galera aqui de casa tem uma certa quedinha por leões, e nesses dois livros o rei da selva é o personagem principal! Estão curiosos?

 

15

Além do leão como protagonista, nos livros de hoje tem outra característica em comum: são livros sonoros! Livro sonoro foi uma das coisas mais legais que descobrimos por aqui. Primeiro porque eles vêm com a narração de toda a história, o que possibilita que as meninas vejam os livros sozinhas e ouçam quantas vezes quiserem.  E também porque a narração nos dá várias possibilidades de interação com os livros, e tem sido bem divertido explorá-las wm nossos momento de leitura.

Livro: Toque e Sinta – Leão e os amigos da floresta

toque e sinta - leão

 Editora: Blu Editora

 Esse livro não tem propriamente uma história, mas sim frases apresentando cada um dos animais.  Além da narração das páginas, ele tem uma parte com texturas para cada animal. Gostei muito por ser um livrinho que estimula vários sentidos. Mini Bentia, de um pouco mais de um ano, ficou especialmente encantada com ele. E já ajuda a própria formação de vocabulário da criança, que vai conhecendo os animais.

Outro ponto que eu gostei muito nesse livro é que ele vem com um botãozinho para desligar os sons, o que é muito útil pra que o livro não fique fazendo barulho cada vez que alguém ou alguma coisa encosta nele.

O livro é super bacana também pra crianças que apresentem algum tipo de deficiência, pelas diversas possibilidades de interação com ele com o áudio, as texturas, a capa dura, a linguagem simples. Muito bom mesmo!

Livro: Conto de Fadas – O leão e o mosquito

o leão e o mosquito Editora: TodoLivro

Esse livro é voltado para as crianças um pouco maiores, Isha Bentia ( 3 anos) gostou bem mais desse porque ele tem uma história de fato, e isso é muito mais interessante pra ela. É um conto de fadas sobre um mosquito que adorava se vangloriar por conseguir perturbar todos os animais e nenhum conseguir pegá-lo. As imagens na lateral correspondem às páginas do livro, e acaba sendo um joguinho de procurar e achar, porque Isha Bentia adorava identificar nas páginas do livro a correspondência com o desenho em destaque. O final da história foi bem forte, e como a curica se impressiona com qualquer coisa, foi preciso uns momentos de diálogo pra ela lidar melhor com o que aconteceu.

Postado em 26 de março de 2015 por Lu Bento

Olá pessoal!

Hoje vamos falar no LêproErê de um livro lindo, presente do projeto Leia para uma criança e que faz parte da Coleção Itaú de livros infantis. Bora conhecer?

12

Livro Infantil

 

LêproErê - poesia-na-varanda

Livro: Poesia na Varanda

Autora: Sônia Junqueira

Ilustração: Flavio Fargas

Editora: Autêntica

Esse é um daqueles livros da coleção de livros infantis que o Itaú distribui anualmente através de um cadastro no site (a inscrição não está aberta, no site consta como coleção esgotada). Confesso que eu nem tinha dado muita importância a ele, mas quando vi o marido lendo com a filha e a menina repetindo as frases da poesia juntinho com ele percebi que aí tinha algo muito bom.

Não sou tão ligada em poesia, então quando o livro chegou aqui em casa foi direito pra estante, nem me dediquei a folheá-lo direito. O marido, mas atento pra essas coisas, e o principal responsável pelas leituras de antes de dormir, pegou o livro e começou a lê-lo pra Isha Bentia.

Foi uma grata surpresa ver a menina curtindo tanto assim um livro de poesia e a cada trechinho que o pai lia, ela via as ilustrações e falava do gato, da menina, da chuva, do amigo da menina…enfim, ela ia construindo sua própria narrativa, sua própria visão do livro. Foi muito lindo e surpreendente ver minha menina imergindo no mundo da poesia. De quebra, abri um pouco mais a minha própria mente, ou melhor, o meu coração para a poesia. 

Eu sempre lembro a idade de Isha Bentia, 2a e 7m, pra vocês terem uma noção da faixa etária pra qual eu indico o livro ou relato a experiência  vivenciada com ele. Poesia e criança pequena combina superbem!

Pra fechar com a magia da poesia, só mesmo uma estrofe de Poesia na Varanda:

“Me arrebatou a poesia

Abrigada entre as páginas

Do livro que alguém lia

E deixou por ali:

Mundo entrando pelos olhos

Enriqueceu minha vida”

Lindo né?


Bom, foi isso.  Se vocês ficaram interessados em conhecer mais o projeto Leia para uma criança, visite o site. Lá é possível se inscrever e receber em casa um livro infantil, além conhecer outras iniciativas de incentivo à leitura. Até o próximo!

Veja mais em Literatura e Literatura infantil

11 de julho de 2018 Vamos falar de literatura e esportes? No LêproErê  dessa semana, dois livrinhos que batem um bolão! As vibrações da...
1 de julho de 2018 No LêproErê de hoje uma graphic novel que faz justiça a um personagem tão desvalorizado da Turma da Mônica...
18 de agosto de 2016 Fala galera! No LêproErê de hoje eu trago dois livros sobre culturas bem diferentes da nossa brasileira. Porque a...
6 de julho de 2016 Fala galera! No LêproErê dessa semana dois livros bem fofinhos com protagonistas negras. Estou tão envolvida com essas leituras...
4 de junho de 2016 Olá Pessoal! Estavam  com saudades do LêproErê?  O blog vai passar por uma reformulação em breve, o LêproErê vai...