Como mãe e professora que sou, não posso fugir aos meus instintos. Então, você encontra aqui breves explicações sobre alguns termos utilizados no blog.  Faltou algum? Escreve pra gente: lubento@amaepreta.com.br

 

 

AdultismoÉ um sistema de pensamento que conclui que os adultos são melhores do que as crianças e têm direito de agir de várias formas sobre elas sem obterem consentimento. É quando os adultos acham que não precisam respeitar as crianças e que estas devem se submeter às vontades e necessidades dos adultos. Saiba mais neste link.


Afroconveniência – É quando uma pessoa se identifica como negra ou afrodescendente em busca de um benefício pessoal ou coletivo.


Amamentação prolongada – É a amamentação se estende  por mais de 2 anos. Ela é recomendada pelo Ministério da Saúde e é adotada pelas famílias dependendo da vontade  e da disponibilidade da mãe e da criança em continuar com a amamentação. A amamentação prolongada é saudável e totalmente natural, resultando em benefícios físicos e emocionais para a mãe e a criança.  Saiba mais neste link.


Capacitismo (capacitista) –  Capacitismo é a discriminação de pessoas com algum tipo de deficiência. É a concepção de que pessoas com deficiência são incapazes e totalmente dependentes que as outras, É uma forma de opressão contra pessoas com deficiência. O pensamento capacitista  que faz com que não se projete ambientes acessíveis, pensados em incluir todas as pessoas e nem que se forneça ferramentas adequadas para que as pessoas com deficiência possam exercer as suas potencialidades. Saiba mais neste link.


Cerclagem – É um procedimento cirúrgico realizado para impedir a dilatação prematura do colo do útero.  Na cercalgem, o obstetra faz uma especie de costura que matem o colo do útero fechado e é indicada para pacientes com históricos de perdas gestacionais relacionadas a IIC e casos de gestações mútlipas.  Saiba mais neste link.


 Empoderamento – É o ato de assumir por si mesmo o poder para realizar mudanças e ações que levem ao auto-fortalecimento e à autorealização. É um movimento interno de reconhecimento de suas potencialidades para agir por si próprio. Ninguém empodera ao outro. O que podemos fazer é fornecer ferramentas e estímulos para o empoderamento individual. Saiba mais neste link.


Feminismo


Gaslighting É uma forma de opressão e abuso na qual uma pessoa tenta te convencer de que você está louca, paranoica. Assim, a pessoa tenta invalidar seus sentimentos e seu discurso. O gaslighting está geralmente associado ao relacionamento abusivo e é  utilizado pelo parceiro para o controle e submissão da mulher. Gslingting constitui um assédio psicológico.


Maternância – É a militância a partir da maternidade. É uma forma de articular mulheres-mães para que juntas ou individualmente lutem por melhores condições para exercer a maternidade, e isso envolve a formação de espaços coletivos, a luta por melhores condições de trabalho, por direitos à licença-maternidade, à amamentação em qualquer lugar, à acesso à um pré-natal digno e decente, entre outras coisas. A maternância envolve qualquer tipo de militância político-social em busca de melhores condições de vida para mães e suas crias.


Misoginia – É o ato de odiar as mulheres. É o ódio e desprezo que algumas pessoas sentem pelo sexo feminino, resultando em opressão de gênero. A misoginia se manifesta de muitas formas diferentes como as piadas, a pornografia e a violência. Também é uma forma de misoginia o auto-desprezo que as mulheres são ensinadas a sentir pelos seus corpos. Saiba mais neste link.


Parto Humanizado –


Preconceito


 


Pornografia de vingança (Revenge porn)   É uma expressão que remete ao ato de expor na internet fotos e/ou vídeos íntimos de terceiros sem o consentimento dos mesmos, geralmente contendo cenas de sexo explícito que mesmo quando gravadas de forma consentida, não tinham a intenção de divulgá-las publicamente. Geralmente envolve uma vingança a uma rejeição afetiva-sexual.


Racismo – É a discriminação com base na cor de pele e na origem racial da pessoa.


Slut shaming (ou slut-shaming) –  é definido como o ato de induzir uma mulher se sentir culpada ou inferior devido a prática de certos comportamentos sexuais que desviam de expectativas ditas tradicionais de seu gênero. É uma forma de  policiar e restringir a sexualidade feminina e sua expressão, definindo os limites do comportamento sexual aceitável para mulheres “direitas”.  Ele também é utilizado como forma de culpar a vítima por ter sido estuprada, alegando que o abuso foi causado (em parte ou no todo), devido a mulher vestir roupas curtas ou agir de forma atrevida e imoral, incitando o estuprador ao ato. Saiba mais neste link.


Sororidade – É a união entre mulheres. É uma aliança entre mulheres pautada no respeito mútuo, respeito à diferença, empatia e companheirismo. A sororidade tem  dimensão ética, política e prática no movimento de igualdade entre os gêneros. É um termo muito utilizado em ambientes feministas. Saiba mais neste link.


Ubuntu – É uma filosofia africana que se materializa na capacidade humana de compreender, aceitar e tratar bem o outro, de perceber que todos estamos interligados e somos interdependes e que é impossível que alguém tenha sucesso sem o sucesso dos outros a sua volta. Ubuntu é a ligação entre o indivíduo e a sua comunidade. A expressão é frequentemente traduzida por  “eu sou porque nós somos”. Saiba mais neste link.

 

Veja mais em


Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/amaepreta/www/wp-content/themes/AMP/footer.php on line 63